Perfil

Um novo jeito de fazer política

Angela Albino tem uma vida marcada pela superação de desafios. Natural de Florianópolis, de origem humilde, filha de pais trabalhadores, o pai Francisco era pedreiro e a mãe, dona Dilma, costureira, ela rompeu muitas barreiras até chegar a Câmara dos Deputados. “Mané tripeira”, como gosta de se autodefinir, torcedora fanática do Avaí, Angela é casada, mãe dos jovens Leonardo, Isaac, Raquel e Pedro, os dois últimos filhos de coração que têm com o marido Julio. Uma das paixões da sua vida é o neto Vicente. Ele é uma das suas motivações de lutar diariamente por um futuro melhor para as novas gerações brasileiras.

Mulher guerreira e combatente, militante ativa do movimento das mulheres de Santa Catarina, de movimentos sociais e sindicais, a deputada federal é bacharel em direito e tem formação técnica em enfermagem. Conhecida pela sua sensibilidade, atenção às pessoas menos favorecidas e também pelo vigor com que defende os servidores públicos (categoria a qual pertence desde 1988 como servidora pública da Justiça do Trabalho), Angela batalha diariamente contra qualquer tipo de discriminação, por mais justiça social e menos desigualdades.

Ousada, moderna e preparada, Angela é uma mulher que combina sensibilidade e capacidade política para discutir e enfrentar os problemas do Brasil, de Santa Catarina e de Florianópolis, sua cidade natal.

Atuação política – Sindicalista, com destacada atuação no Sindicato dos Servidores do Judiciário Federal (SINTRAJUSC), na Federação dos Trabalhadores no Judiciário Federal (FENAJUFE) e na União Brasileira de Mulheres (UBM), Angela Albino filiou-se ao Partido Comunista do Brasil (PCdoB) em 2002 e desde então se mostrou uma militante aguerrida e que não foge da luta. Em 2004, participou pela primeira vez de uma eleição, disputando vaga na Câmara de Vereadores da Capital. Naquele ano foi eleita a única vereadora mulher.  Liderança carismática, atuante e combativa conquistou reconhecimento no cenário político catarinense.

Em 2006, candidatou-se a deputada estadual, quando teve uma votação consagradora em Florianópolis. Assumiu a cadeira em duas oportunidades entre 2009 e 2010, por um período total de seis meses, como suplente.  Em 2010, conquistou uma vaga na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) e teve um mandato marcado pela apresentação de projetos em defesa das mulheres, dos servidores públicos, na área ambiental e pela defesa dos trabalhadores e trabalhadoras, da juventude, da população negra e da diversidade. Em 2014 concorreu à Câmara dos Deputados e conquistou quase 88 mil votos, ficando na segunda suplência. Destaque do pleito, Angela foi a mulher catarinense mais votada.

A expressiva votação e o reconhecimento pela histórica atuação em favor das pessoas em situação de maior vulnerabilidade social levaram o governador Raimundo Colombo a convidar Angela Albino para assumir a Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação. Empossada em fevereiro de 2015, ela permaneceu à frente da pasta até outubro do mesmo ano, quando se tornou a primeira comunista catarinense a ocupar uma cadeira no legislativo federal. Entre os focos do seu mandato estão o desenvolvimento econômico, a defesa dos direitos humanos e dos trabalhadores.

Entre as suas crenças está a de que uma sociedade mais justa, mais equilibrada, só é possível com o aumento da participação das mulheres na política. Angela enfatiza que a baixa presença feminina nos parlamentos, ou espaços de poder, faz com que elas não disputem orçamentos, nem construam políticas públicas.